SOS da Tai

Depressão, uma doença ou frescura?

Oi minha amiga,

Esse texto é para você que esta passando, ou até mesmo já passou, por esse período difícil e talvez ainda não se sinta 100% bem.
Eu não tenho aqui uma fórmula magica de como lidar com a depressão, infelizmente!
Ninguém poderá te receitar um remédio milagroso que irá te tirar do fundo do poço, lamento!

Mas, vamos deixar claro, que sim, depressão é uma doença!

O mais importante para a cura de uma depressão é a pessoa aceitar que está doente e que precisa de ajuda.
Vou contar um pouquinho de minha experiência e talvez, isto lhe ajude.

Bem, minha mãe faleceu quando eu tinha 17 anos e foi onde tudo começou.
Eu me culpei pela morte dela, durante longos anos…

Eu acreditava fielmente que eu é quem tinha a decepcionado, de tal maneira que ela havia ficado tão doente por desgosto. Sim, convivi com isso!
Os anos se passaram e eu não consegui desabafar com ninguém, até mesmo pelo fato de que eu achava vergonhoso. Eu tinha a impressão que, realmente, todos me culpavam por isso.

Como queria sempre parecer forte, não demonstrava tamanha dor que sentia. Perdi a conta de quantas vezes não dormi, passando noites em claro chorando.

Foi então que fiz a faculdade que minha mãe tanto queria, tentei ser quem eu não era para fazer ela feliz.

Eu comecei a ficar muito doente aos 22 anos.

Já estava na reta final da faculdade, trabalhando em um escritório o qual eu poderia crescer muito!

Me deparei com a minha realidade: eu estava exatamente onde minha mãe sonhava que eu estaria, mas, era extremamente o contrario de minha vontade. E o pior de tudo? Ela nem estava presente para tudo isso.
Era como vestir aquele jeans bem apertado, o qual pode até te servir, mas, não te cabe, sabe?

Eu não conseguia simplesmente largar tudo, em minha cabeça eu estaria decepcionando ela mais uma vez. Não soube administrar meus sentimentos e cai em uma depressão profunda.

No início eu só não tinha vontade de fazer nada, todos os meus dias eram ruins, a felicidade de qualquer pessoa me deixava triste.
Não tinha mais vontade de conversar, seja com quem fosse. Tudo que eu queria sempre era ficar na minha cama, de preferência sem ninguém por perto.

E então comecei a querer morrer a todo custo: tomei medicamentos, me cortei, fiz coisas absurdas.

E gente, nunca fiz isso para chamar atenção de ninguém, até mesmo pelo fato de que poucos estiveram do meu lado.

Simplesmente não enxergava motivos para seguir, não conseguia projetar minha vida, ou melhor, eu não queria mais viver, e esta era a minha única vontade no momento.

As pessoas se afastaram de mim, tanto amigos quanto parentes.
Ninguém conseguiu ficar do meu lado até o fim, muitos me chamaram de mimada, outros tantos falavam que não tinham paciência para ficar do meu lado, e o pior eram os que falavam que eu não estava me ajudando. (isso doeu tanto!)

Eu não acreditava que sairia dessa. Mas, eu sai!
Não graças a minha “família”, muito menos aos “amigos”.
Eu sai dessa devido aos poucos que estiveram do meu lado, e quando eu digo poucos, são poucos mesmo viu?!

Tipo assim, posso contar nos dedos de uma única mão os que estiveram comigo até o final!

Hoje eu tenho discernimento o suficiente para não culpar as pessoas que não estiveram do meu lado, pois, deve ser realmente difícil ajudar uma pessoa que esta psicologicamente abalada e sem vontade de viver, não é mesmo? Mas, infelizmente, eu fiquei muito mais fria depois disso. Eu já não ligo para tantas coisas que antes me moviam.

Sempre digo que minha depressão foi algo bem positivo para mim. Aprendi muitas coisas, especialmente, a me colocar em primeiro lugar sempre.

Sério gente, as pessoas que ficaram do meu lado me mostravam isso. Que por mais que elas me ajudassem, elas se colocavam em primeiro lugar também.

Neste período eu aprendi o verdadeiro amor: o amor próprio.

Aprendi que aqueles que gostam de você de verdade vão estar do seu lado, mesmo você chorona, chata, vão te mostrar o quanto a vida pode sim ser bonita!

Então respondendo algumas perguntinhas:

Como lidar? Um dia de cada vez. Você precisará cuidar de você de dentro para fora.

Não vai adiantar ir no shopping e gastar 500 reais em roupas para se sentir mais bonita, isso vai ser um alivio passageiro. Como também, não adianta ir ao salão de beleza, ter um dia de princesa, pois saindo de lá você continuará com sua alma pobre.

Ou seja, a melhor coisa a se fazer é procurar alguém para se abrir, o melhor é procurar um médico, pois são profissionais e com certeza saberão te ajudar.

Conselho de amiga, procure um bom profissional, não vá no mais barato não, viu? O mais barato só vai te socar remédio para dormir, e você nunca mais sairá dessa ‘bad’!

Como superar?
Medicamentos e psicólogos ajudam sim! Para de ficar com a neura de que você é super herói pois não é, e sem ajuda nunca será!
Aprenda a aceitar tudo que aconteceu, seja durante sua vida, seja durante sua própria doença. No meu caso, o mais difícil foi digerir tudo que aconteceu enquanto eu estava doente, pois, o abandono das pessoas doeu muito!
Aprender a viver um dia de cada vez e entender que as coisas não vão melhorar da noite para o dia. Nada na vida é assim, lindinha.
Lembrar que todos nós temos dias ruins.

Reprograme a sua vida, comece a fazer aquilo que te faz feliz.

Eu consegui, depois de duras penas, a enxergar que nada que aconteceu foi culpa minha, e que por mais que façamos algumas coisas as quais não vão agradar a outros, não podemos deixar de fazer se isso nos faz viver melhor.

Nunca vamos conseguir agradar a todos, e no fim tudo que precisamos é agradar a si próprio para que possamos ser verdadeiramente felizes.

Falando assim, parece um pouco egoísta, mas, não é.

Essa é a minha experiência, quem sabe a sua seja muito melhor, ou pior, então não leve tudo ao pé da letra, ok?

A superação vai ter que partir de você sim, parece bem clichê e é mesmo!

Agora minha linda, no final, bem no final, tudo da certo!

 

 

Para você que passou ou esta passando por isso: Você tem uma força surreal menina, você só não sabe disso ainda.

Para os que acham que depressão é uma frescura: ALTERIDADE meu amigo, é bom e todo mundo gosta!

 

Beijinhos da Tai ❤️

1 Comment

  1. Keli

    Ótimo conteúdo. Adorei o seu jeitinho de expor este assunto.
    Parabéns continua assim sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.